Medusa ao Reverso – Fotografia de Palco

Ao Reverso de Medusa que com um simples olhar é capaz de transmutar em pedra inerte qualquer ser vivente, neste trabalho, os seres míticos de pedra da escultora francesa Camille Claudel – sereias, ninfas, parcas, górgonas, deusas, enfim, um panteão de deidades – em contato com o meu olhar transmutam-se em movimento; dançando em meu próprio corpo.

Assista ao Teaser: aqui

Ficha Técnica:
Criação e Interpretação: Kamilla Mesquita
Orientação: Jussara Miller e Marília Vieira Soares
Trilha Sonora: Igor Capelatto
Colaboração Artística: Bruna Reis, Raíssa Tomasin e Isadora Massoni

Fotografia de Palco: Ivana Cubas
Som Direto, Filmagem e Edição: Rafael Veron e Igor Capelatto
Montagem do Teaser: Igor Capelatto

1 Response

  1. Falar do olhar do outro em relação ao solo coreográfico 'Medusa ao Reverso' tem sempre um ar de deslumbramento Mítico. Afinal, um dos elementos que me impulsionaram a esta criação foi exatamente a metáfora do olhar, e ousei tomar emprestada tal metáfora do olhar de Medusa -que transforma seres viventes em pedra- buscando transmutar em dança imagens que outrora encantaram o meu olhar. E nesta multiplicidade de olhares é tão gratificante deparar-me com outros olhares sensíveis! Alimentado pelas capturas do meu olhar, o meu corpo vai criando imagens outras no espaço cênico que já não são mais exatamente aquelas que eu via, mas imagens que perpassam a minha sensibilidade, a minha imaginação, mas também a minha musculatura, meus ossos, meus cabelos, meu suor ... E simplesmente não vejo tais imagens enquanto as crio, pois elas são meu próprio corpo que experiencio em sensações, mas não em imagens. Mas os olhos sensíveis do fotógrafo por traz da lente me possibilitam ver-me.E não se trata apenas narcisismo do artista de gostar de se ver, mas de minimamente vislumbrar as formas que meu próprio corpo cria. E não é apenas um registro; é uma captura sensível que está além da técnica de focos e lentes, mas principalmente no olhar do artista por trás destas lentes. Ver as fotos de 'Medusa ao Reverso' não somente contribui para o aprimoramento constante desta criação em processo, mas me remete a um universo de novas possibilidades poéticas ao deparar-me novamente com o meu próprio corpo em um novo suporte, em uma nova linguagem. IRONICAMENTE, é como se Medusa capturasse com seu olhar dados momentos da minha coreografia. Eles se tornam 'aparentemente' estáticos na tela do computador ou no papel fotográfico, mas não são estáticos no âmbito do sensível, pois há um corpo vivente alí. Há movimento, há memórias, há sensações captadas e de quase que MAGICAMENTE eternizadas. Agradeço à queridas e talentosa Ivana Cubas e tantos outros TALENTOSÍSSIMOS fotógrafos que já me presentEaram com seus míticos olhares acerca deste meu trabalho. Minha gratidão à esse poderoso talento em capTAR E TORNAR DURÁVEIS, VISÍVEIS E ETERNOS PARTILHÁVEIS ESTES INSTANTES DE POESIA, MEMÓRIAS E CRIAÇÕES.

Leave a comment